Arquivo de bobeiras

Meme

Peguei esse meme lá no blog da Mell, e apesar dela não ter me indicado pra responder, tô respondendo e sinta-se a vontade pra pegar e responder!

Regras:

1 – Linkar a pessoa que te indicou;

2 – Escrever as regras do meme em seu blog;

3 – Contar 6 coisas aleatórias sobre você;

4 – Indicar mais 6 pessoas e colocar os links no final do post;

5 – Deixar a pessoa saber que você a indicou, deixando um comentário para ela;

6 – Deixar os indicados saberem quando você publicar seu post.

1 – Pra mim, uma das melhores sensações no mundo (na ordem em que vou descrever): nas NOITES de DOMINGO, tomar um banho quente beeem demorado, colocar o pijama mais confortável, tomar 5 gotinhas de rivotril, deitar com os cabelos MOLHADOS e bem penteados em lençóis hiper esticados e limpos, me enrolar num edredom e ver um filme bom. Ai, tesão!

2- Meio que “repetindo” o que a Mell disse, eu também me alfabetizei sozinha, e tinha 3 anos, tava quase fazendo 4. Acho que os gibis da Mônica me ajudaram muito, e lembro de todas as professoras do jardim de infância juntas na minha sala e me pedindo pra escrever várias palavras no quadro, e a cada palavra que eu escrevia surgia um “ohhh” delas. Pulei um ano, fui do 1º pro 3º período, e isso me atrapalhou pra cacete, tive problemas de adaptação, era lerda e não acompanhava a turma no colégio, e só quando tomei uma bomba, no 2º ano do 2º grau que consegui meio que “consertar” isso.

3 – Se eu não tiver deitada de bruços e com uma das mãos segurando meu pescoço não consigo pegar no sono nem a porrete.

4 – Tenho horror, pavor, medo, pânico, enfim, tudo de PIOR que existe no mundo quando se trata de borboleta ou de bruxa (mariposa preta tenebrosa)

5 – Tenho aflição (em BH aprendi que esse sentimento de chama ‘gastura’) de ver várias bolinhas agarradinhas. Vou tentar explicar: Me arrepio quando vejo poros da pele com zoom, quando vejo um pedaço de papelão visto por cima (tem um monte de buraquinhos juntinhos, né),

6 – Estalo os dedos freneticamente, até mesmo em ambientes silenciosos e morrendo de vergonha.